11 de setembro de 2012

No instante: 
da alma com fome,
das explosões internas,
tudo atinge violentamente
e desaba.
Correspondo na mesma intensidade.
A realidade é um espaço híbrido.
A composição 
fertiliza minha loucura 
mais angústia
menos serenidade.
não me falem de amor
essa substância asfixiante.

Um comentário:

Mateus Marcelini disse...

elucubremos!