29 de março de 2012

coisa boa de ler

A Relação privilegiada

"Ele não buscava a relação exclusiva (posse,ciúme,cenas); Também não buscava a relação generalizada,comunitária,o que ele queria era, a cada vez,uma relação privilegiada,marcada por uma diferença sensível,levada ao estado de uma inflexão afetiva absolutamente singular,como a de uma voz de timbre incomparável; e,coisa paradoxal,ele não via nenhum obstáculo em multiplicar essa relação privilegiada. Tudo era privilégio,em suma; A esfera amical estava assim povoada de relações duais (daí uma grande perda de tempo: era preciso ver os amigos um a um: resistência ao grupo,à turma,à festinha). O que se buscava era um plural,sem igualdade,sem in-diferença."

Roland Barthes

Um comentário:

Anônimo disse...

digamos que é pura coincidência.

Estou lendo "Fragmentos de um discurso amoroso".

Roland Barthes é muito bom!