31 de dezembro de 2011

sem você, ele para

"tempo cronológico. fuááá.
tempo do escravo do trabalho 
do homem mercado marcado para morrer.
o tempo não passa igual pra mim ou pra você
(às vezes com você o tempo voa. sem você, ele para)
cada um tem um tempo a ser respeitado.
danem-se os relógios. abominem-se os calendários.
nosso corpo nossa alma requerem outros tempos
não esse do relógio de ponto, da folhinha na parede
percebê-los respeitá-los é o que quero agora"



de Chacal.

2 comentários:

O Cercadinho disse...

Lindo texto. Especialmente neste post tu te puxou. Parabéns. Aliás, lendo outros posts teus, te digo que tu escreves super bem.
Show o teu blog.
Me acompanha lá. Novo post.
Wanderlei
www.o-cercadinho.blogspot.com

Camila Prada, a Elucubrada disse...

Ah Obrigada! Mas especialmente esse escrito é do poeta Chacal... melhorarei o crédito!
Seja benvindo!!!