15 de agosto de 2011

Devo só ao tempo - ao meu.

Amei o irreal
carreguei culpa e permiti desamor
amei mal e perdi em amor...
uma vida em busca de outro além do próprio...

A verdade? 
Ainda não chegou aqui.
Aprendi amar minha alma o suficiente para esperar
e não carregar solidão. 

Sinto sim e são juros do tempo 
e devo somente ao meu 

Ao meu tempo, 
sinto paz em desvincular o ponto comum.
Amor é cumplicidade. 
Silêncio...


Um comentário:

Marco Apolônio disse...

Beto Guedes, clube da esquina
Oôh Minas Gerais!!