29 de junho de 2011

Fora do sentido

 
Admirar em caminho inverso.
Você ainda envolto em matracas alucinantes ou em fumaça alienando sua carência.
Eu sei... As noites estão cada vez mais frias e vazias.
Foram necessários copos e copos de café essa manhã...
Foi tudo esse sonho do tudo com o sonho. 
Não gosto nada desse gosto amargo.
Será assim até o gosto doce de gerar um filho.
Como fizeram meus ídolos. Ou como fazem os bichos.
Enquanto isso exerço humanidade
mantendo livros entre o criado mudo e a prateleira...
mantendo dolorosas distâncias... 
matando aos poucos.


Nenhum comentário: