10 de abril de 2011

Trancas abertas
dobradiças desparafusadas...
Sentidos aguçados
baú revirado.
Minha vaidade vem à tona.
Continuo possessiva.
Renovo amor a cada dia.
[tento]
mas não mudo: sou mordível.
todos passam, levam um pedaço
ao contrário, você multiplica.
Será assim, até a próxima mudança de ventos.
E ficaremos juntos.
Inteiros, juntos.

Nenhum comentário: